Lula rejeita acordo para ser solto e DataFolha mostra que 47% votam em quem ele apoiar


O imenso poder de influência de Lula no processo eleitoral ganhou contornos dramáticos com a última pesquisa Datafolha, divulgada hoje; Lula não apenas lidera com larga vantagem em todos os cenários, como também tem o poder de fazer com que um possível indicado tenha 47% de intenções de voto, o suficiente para uma vitória no primeiro turno; a popularidade do petista chega a ser incompreensível para as mídias tradicionais, que não conseguem mais esconder essa constatação factual.

Mesmo preso em Curitiba, Lula mantém grande poder de influência no processo eleitoral, de acordo com o Datafolha. Segundo o instituto, 30% dos eleitores dizem que votariam com certeza num candidato indicado pelo petista e 17% dizem que talvez o fariam, o que dá um número inicial de 47%, ou seja: com possibilidades de vitória já no primeiro turno.

O Datafolha mostra que a popularidade de Lula seria um ativo valioso para qualquer um. Para se ter uma ideia do cenário favorável a Lula, o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) levaria 65% dos eleitores a rejeitar um candidato. Uma indicação do presidente Michel Temer levaria 92% a não votar em alguém. Sem um nome apontado por Lula, os eleitores lulistas se dispersam quando opinam sobre cenários em que o ex-presidente não aparece como candidato: neste cenário, 45% dizem que votariam em branco.

PROPOSTO INDECOROSA; RESPOSTA DIGNA DE ESTADISTA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi sondado sobre a possibilidade de abandonar sua intenção de se candidatar ao Planalto este ano e em troca poderia ser libertado da prisão em Curitiba.

A afirmação foi feita na noite desta sexta-feira por Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo e um dos coordenadores do programa de governo de Lula.

Acenaram para o Lula com um acordo”, disse Haddad num ato do PT de lançamento da pré-candidatura ao Planalto de Lula. Segundo ele, a proposta foi: “Abre mão da sua candidatura que você sai da cadeia, que a gente liberta você”.

Haddad, cotado como um possível plano B do PT para a eleição presidencial deste ano, não deu detalhes sobre essa proposta, sobre quem a teria feito e quando. A resposta do ex-presidente teria sido: “Me apresentem uma prova que eu abro mão da minha candidatura”.

O senador paranaense Roberto Requião (MDB) escreveu em seu blog pessoal (tweeter)Se o ministro do STF DIZ QUE Lula só será solto se desistir de se candidatar a presidente, não temos uma condenação, mas sim o sequestro de um candidato”. Simples assim! Conclui o senador.



ATENÇÃO!! Os comentários aqui expressos não representam a opinião deste portal de notícias. A responsabilidade é inteiramente do autor da mensagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *